bioworld

Friday, March 17, 2006

OGM: Novo estudo admite riscos de saúde em bebés por nascer

Uma nova pesquisa científica revelou que mulheres que comam alimentos OGM (Organismos Geneticamente Modificados) enquanto estiverem grávidas poderão prejudicar os seus bebés ainda por nascer. O estudo - levado a cabo por um cientista da Academia Russa de Ciências - descobriu que mais de metade da descencência de ratos alimentados com soja modificada morreu nas primeiras 3 semanas de vida, 6 vezes mais que os nascidos de mães alimentados com uma dieta normal. Apresentavam igualmente peso a menos. A pesquisa - que está a ser preparada para publicação - é apenas uma de uma série de recentes estudos que estão a fazer reviver os medos que os alimentos OGM prejudiquem a saúde humana. Um estudo italiano descobriu que a soja modificada afectava o fígado e o pâncreas dos ratos. A Austrália abandonou uma tentativa que durava há uma década de desenvolver amendoins modificados quando um estudo oficial revelou que provocavam danos nos pulmões. E no passado Maio o jornal Independent UK revelou um relatório secreto da gigante da biotecnologia Monsanto que demonstrava que os ratos com uma dieta rica em milho transgénico tinham rins mais pequenos e apresentavam mudanças na composição sanguínea, o que sugeria possíveis danos nos seus sistemas imunitários, do que aqueles com dietas convencionais. A FAO (Food and Agriculture Organization) realizou uma oficina sobre segurança nos OGMs nas suas instalações em Roma no final do ano passado. A oficina foi realizada por cientistas cujas pesquisas originaram preocupações acerca dos perigos para a saúde. Porém, a Organização Mundial do Comércio prepara-se para apoiar no próximo mês a proposta da administração Bush para forçar os países europeus a aceitarem os OGMs.

Fonte: Terra Viva

0 Comments:

Post a Comment

<< Home